100%
26.7.2019

Cidades brasileiras e a Gestão Pública Colaborativa

Descubra como as cidades brasileiras estão implementando a gestão pública colaborativa e quais os efeitos que isso vem tendo nas regiões.

A gestão pública está passando por uma transição para sair do modelo mais burocrático e fechado, para um aberto que permita uma maior participação do cidadão nas decisões tomadas em sua cidade.

Afinal, o Estado tem que ser cada vez mais acessível, transparente, representativo e eficaz, e isso só é possível quando todos colaboram em prol do bem comum.

Essa mudança levanta discussões em diversas partes do mundo e para nós traz um questionamento: como as cidades brasileiras estão trabalhando a gestão pública colaborativa dentro de seus territórios?

Pode ser novidade para você, mas já temos exemplos de cidades brasileiras que estão se adaptando e trabalhando de forma colaborativa com o cidadão para tomar suas decisões e vivenciam a gestão pública colaborativa na prática.

Teresina e a Gestão Pública Colaborativa

A cidade de Teresina tem 861.442 habitantes de acordo com dados do IBGE 2018, o que significa que o serviço pública tem muita gente para atender.

A capital do Piauí fechou parceria com o Colab para receber as demandas da população pelo aplicativo, desde o início do projeto foram registradas 17.401 demandas das quais 74,28% foram resolvidas. Só nos primeiros seis meses de 2019, foram enviadas 5.541 demandas – quase a mesma quantidade que a Prefeitura recebeu durante todo o ano passado – das quais 50,11% já foram resolvidas.

A Prefeitura engajou cerca de 148 servidores em 50 departamentos para dar atenção às demandas da população que são recebidas pelo Colab, telefone, WhatsApp, e-mail, site e presencialmente. Muita coisa, né?Todas essas informações refletem o empenho da gestão pública em ser mais colaborativa e estar perto da população, ouvindo suas reclamações e oferecendo pessoas capazes de resolvê-las.

Através da análise das informações enviadas pela população, a Prefeitura atestou que era necessária a criação de um novo semáforo no centro da cidade por onde circulam muitos carros e ônibus.“Neste cruzamento foi relatado, por meio do aplicativo COLAB, um problema dos condutores que utilizam a Rua Olavo Bilac ao cruzar a com a 24 de Janeiro. Então fizemos uma análise e agora estamos implantando o semáforo no entroncamento para evitar problemas e oferecer segurança aos pedestres” disse José Falcão, diretor de Trânsito e Sistema Viário da Strans.

A gestão colaborativa esteve presente no processo de criação desse semáforo, desde o momento em que o cidadão instalou o aplicativo para informar a Prefeitura que faltava um semáforo ali até a hora em que os funcionários foram realizar a instalação do equipamento.

Os cidadãos envolvidos nesse processo não beneficiaram só a eles próprios, beneficiaram a todos os moradores da capital.

Como isso funciona?

O processo de implementação da gestão pública colaborativa nas cidades brasileiras ainda é recente e nem todos os municípios estão atentos a necessidade disso. Aqueles que já se atentaram a isso estão criando cidades melhores e mais criativas para suas populações.

Qual a sua opinião sobre a nova gestão pública? Acha que a sua cidade está atenta a isso? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários e acompanhe nossas redes sociais para ver mais conteúdos sobre gestão pública.

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Nat Almeida

Sobre o autor

Publicitária metida a escritora que gosta de falar sobre criatividade na gestão pública e é uma grande amante dos pães de queijo.