100%
30.8.2019

As 5 cidades mais inovadoras do mundo

Você já se perguntou quais são as cidades mais inovadoras do mundo? Neste artigo apresentamos algumas cidades com os motivos que as tornam dignas do título de mais inovadoras do mundo.

Você já se perguntou quais são as cidades mais inovadoras do mundo?

A consultoria imobiliária Jones Lang LaSalle (JLL), uma das maiores empresas de gestão de investimentos imobiliários do mundo, analisou mais de 100 centros urbanos, levando em consideração alguns fatores: os investimentos em indústrias de tecnologia, atração de capital, dados demográficos, níveis de escolaridade, empregabilidade da população e potencial para desenvolver uma economia dinâmica. 

Todo esse estudo foi necessário para a consultoria identificar as cidades mais inovadoras do mundo, descobrir como elas se destacam e os fatores que as tornam tão diferente das outras.

Para esse artigo selecionamos algumas dessas cidades e trazemos uma breve explicação sobre porque elas foram consideradas as "mais inovadoras" do mundo.

1. São Francisco</H2

A cidade está atraindo muitos empreendedores e empresas de tecnologia que buscam sucesso e desenvolvimento profissional. Entre seus principais atrativos, podemos destacar os profissionais capacitados (mais da metade da população com mais de 25 anos possui diploma universitário) e a influência da cultura de inovação da região.

O número de startups na região surpreende: quase 10 mil estão operando na cidade. Isso também explica o aumento de patentes registradas na cidade que chegou perto de 9.000 em cinco anos. Atualmente a tecnologia é vista como a principal atividade econômica da cidade.

Esses motivos somados a quantidade de inovações que surgem em São Francisco, a elegeram como a cidade mais inovadora o mundo na lista da JLL.

Ambiente favorável, pessoas capacitadas e muitas ideias sendo criadas: São Francisco é o sonho de qualquer empreendedor.

2. Tóquio

Provavelmente quando você pensa em Tóquio deve imaginar uma cidade cheia de letreiros luminosos, pessoas correndo de um lado para o outro e que transborda criatividade. Por essas e outras razões, a cidade ficou em segundo lugar no ranking da JLL.

Atualmente, Tóquio é o lar de tendências que influenciam o mercado mundial de tecnologia, principalmente na área da robótica.

Além disso, existe a construção de uma megacidade conhecida como "next-Tokyo" que será criada dentro da cidade. A ideia da next-Tokyo é criar um modelo de cidade sustentável que se adapta constantemente às mudanças climáticas.

Mesmo com toda a influência da tecnologia, a cidade mantém suas tradições vivas e os elementos da cultura do país continuam presentes na cidade. 

Um lugar como Tóquio merece seu lugar no ranking das mais inovadoras do mundo.

3. Singapura

Singapura está sendo comparada ao Vale do Silício e algumas pessoas acreditam que em breve ela poderá assumir o posto de berço das empresas inovadoras de tecnologia.

A cidade-estado é conhecida pelos baixos índices de corrupção e possui governo eficiente, que incentiva a criação de empreendimentos e investe em pesquisas e estudos. A região atrai muitos investidores e transmite confiança para quem quer começar sua empresa.

Além disso, Singapura é lar do One North, um parque industrial que abriga mais de 400 empresas e oferece emprego para 16 mil profissionais. O local funciona como centro de pesquisa e abriga instalações que trabalham diariamente com tecnologia.


Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

4. Pequim 

A capital da China é considerada um centro tecnológico mundial, ela conta com a área de Zhongguancun que é considerada o Vale do Silício Chinês. Os habitantes dessa região especificamente dividem espaço com cerca de 20 mil empresas que se instalaram por lá e atuam no ramo da tecnologia.

Se você acha que a China é o país que “copia” as ideias alheias e oferece mão-de-obra barata, saiba que agora ela está investindo (e muito) em criar o que ninguém antes imaginou.

O plano "Made in China 2025" foi criado com o objetivo de transformar o país em uma potência industrial e de tecnologia e o berço dessas tecnologias é Pequim, que planeja implementar estradas que carreguem os carros elétricos em movimento.

A empresa iFlytek, por exemplo, criou um robô que consegue identificar 150 doenças e funciona como assistente médico. Com ele, será possível levar a inteligência artificial para áreas isoladas do país e ajudar os médicos locais.

Pequim está se destacando e conquistou sua posição na lista de cidades mais inovadoras do mundo.

5. Londres

O governo britânico compreende que, para a economia baseada em conhecimento ser consolidada é necessário investir e atrair empresas que desenvolvam projetos tecnológicos e inovadores. 

Com o apoio do governo foi criada em Londres o Tech City, o hub que tem como objetivo “tornar o Reino Unido o melhor lugar para se imaginar, começar e desenvolver um negócio digital”.

Pode soar ambicioso, mas o hub já é considerado o maior de toda Europa e abriga de 1.300 empresas que empregam mais de 50 mil pessoas.

O envolvimento do governo no projeto da Tech City chama muito a atenção, além de investir mais de 50 milhões de libras no cluster, também foi instalado um time de UK Trader & Investment (UKTI) para auxiliar os empreendedores que querem expandir e exportar suas criações para outros países. 

Todo o esforço do governo valeu a pena e Londres está na lista de cidades mais inovadoras do mundo.

E agora?

Inovar e empreender podem parecer complicados no Brasil, mas com a ajuda do governo tudo pode ser mais simples – como falamos no artigo sobre o Mapa da Simplicidade.

No momento, nenhuma cidade brasileira está na lista de mais inovadoras do mundo, mas quem sabe esse cenário muda em breve.

A administração brasileira precisa inovar, por isso criamos a minissérie Inovação em Governos que traz dicas de como atualizar a gestão pública.

A minissérie é totalmente online e gratuita, você só precisa fazer o seu cadastro e dar play. 

Nat Almeida

Sobre o autor

Publicitária que escreve sobre criatividade na gestão pública e gosta de aleatoriedades. Responsável pelo blog do Colab e é amante de pães de queijo.