100%
5.10.2020

Dia Mundial do Habitat: Como cuidamos de nossas cidades?

Você já ouviu falar sobre o Dia Mundial do Habitat? Há décadas essa data é comemorada no mundo todo.Neste artigo falaremos um pouco sobre como começou.

Você já ouviu falar sobre o Dia Mundial do Habitat?

Pois é, mesmo não sendo tão conhecido quanto muitos feriados e datas comemorativas de nosso calendário, o Dia Mundial do Habitat já é comemorado há décadas pelo mundo inteiro.

Neste artigo falaremos um pouco sobre essa data e como ela começou.

Como o Dia Mundial do Habitat começou?

Desde outubro de 1986, na primeira segunda-feira do mês de outubro é comemorado o Dia Mundial do Habitat e a ideia começou com a ONU.

Habitat é o nosso refúgio, o lugar onde vivemos e no qual temos acesso aos elementos essenciais para nossa sobrevivência, como a água, ar e alimento. Porém, com o crescimento desenfreado das cidades, parte da população ficou sem acesso aos habitats.

O objetivo é que nesse dia possamos refletir sobre o estado de nossas cidades, o acesso à moradia adequada e como cuidamos de nossas cidades para as gerações futuras. E essas reflexões são extremamente necessárias.

De acordo com o IBGE, o Brasil tem mais de 5 milhões de moradias irregulares. Ou seja, são 5 milhões de casas em favelas, invasões, grotas, comunidades, vilas, loteamentos irregulares e afins que não tem acesso a serviços públicos essenciais, como o saneamento básico e eletricidade. Quase um quinto dessas moradias estão localizadas nos Estados do Norte do Brasil.

Aqui no Colab adoramos inovar na gestão pública!

Por isso, disponibilizamos alguns conteúdos mais completos que falam sobre gestão pública. Deixe o seu melhor e-mail para recebê-los!

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Na publicação, o IBGE ressaltou:


“As características que subsidiam a classificação da categoria geográfica dos aglomerados subnormais apontam para áreas de precariedade no acesso a serviços básicos e na infraestrutura social”


Os moradores dessas habitações irregulares são famílias carentes com pouco poder aquisitivo que encontram dificuldades para pagar aluguel ou adquirir uma moradia em bairros estruturados. A alternativa que encontram é ocupar terrenos de terceiros e gradativamente os transformá-los em favelas e comunidades, onde o aluguel é baixo.

Assim, surgem bairros sem infraestrutura nos quais não há pavimentação, energia elétrica, rede de esgoto, postos de saúde, escolas ou policiamento.


Além da data, a ONU também criou o Centro de Nações Unidas para os Assentamentos Humanos, que atuam na busca pelo direito de moradias dignas para todos e busca melhorar as condições de trabalho e de vida das famílias carentes.


Em parceria com a ONU-Habitat, o Colab está lançando a 3ª Edição da Consulta Cidades Sustentáveis e convidamos você a avaliar como a sua cidade está melhorando para oferecer moradias dignas para todos.

Ao final, você conseguirá ver um gráfico que ilustra a percepção de outras pessoas da sua região sobre esse assunto. Para responder você só precisa clicar aqui.

Cuidar de nossos habitats também é cuidar de nossas cidades. Participe!

Nat Almeida

Sobre o autor

Publicitária metida a escritora que gosta de falar sobre criatividade na gestão pública e é uma grande amante dos pães de queijo.