100%
11.12.2015

Fala, cidadão!

O Projeto Costurando Sozinhos destina suas ações para atender as demandas da população de todas as regiões de Campinas, na formação de empreendimentos no segmento de confecção. Saiba mais sobre!

Projeto Costurando Sonhos

Tem como objeto a implantação e o fortalecimento de Espaços Públicos de Inclusão, nos princípios da Economia Solidária, a partir de trabalho em rede, visando à formação de Empreendedores nos diversos segmentos da Confecção, fomentando  a GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA no Município de Campinas. Este Projeto destina suas ações para atender as demandas da população de todas as regiões de Campinas, na formação de empreendimentos no segmento de confecção.

Tem como objetivos a formação e capacitação de Empreendedores nos diversos segmentos da confecção; formação para Associação produtiva e gestão coletiva e solidária do empreendimento; disponibilização de alternativas e canais de venda e distribuição dos produtos confeccionados; motivação de homens e mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade social no Município de Campinas, inseridos ou não nos Programas de Geração de Trabalho e Renda, por meio do aprendizado adquirido no decorrer da execução do Projeto, em especial, nos diversos ramos da Confecção.

Laboratório de Fabricação Digital

O Laboratório de Fabricação Digital  (FAB LAB) é um equipamento público onde crianças, jovens e adultos terão acesso gratuito às tecnologias digitais e máquinas de última geração para desenvolver seus projetos.

O FAB LAB terá  impressoras 2D e 3D, fresadora de precisão, cortadoras à laser para fabricar praticamente qualquer coisa em três dimensões!

É a democratização do acesso às novas tecnologias e ao conhecimento.

Projeto Sala de Artes

O Projeto “sala de dança nas escolas” visa a ampliação das possibilidades de permanência do aluno em período integral e considera a relevância do desenvolvimento de atividades relacionadas à arte como processo de conhecimento e aprendizado a fim de contribuir para a qualidade social da educação e a formação integral das crianças e adolescentes de Campinas.

É destinado aos alunos e ex-alunos das Unidades educacionais de Ensino Fundamental Regular de Campinas e tem o propósito de apreciar, conhecer, construir conhecimentos sobre o corpo e suas expressões, além de socializar e apresentar as composições coreográficas elaboradas pelo coletivo escolar.

Tem como objetivos:

– promover a socialização dos trabalhos desenvolvidos nas Escolas;

– incentivar o estudo das várias linguagens para que o aluno compreenda e valorize a diversidade cultural, interagindo com o seu modo de refletir e agir, ampliando assim, seu repertório.

– oportunizar aos alunos contato direto com a cultura corporal, desenvolvendo e aprimorando as possibilidades de movimentação e criação.

– descobrir novas possibilidades culturais e artísticas, superando suas limitações e condições para enfrentar novos desafios.

Campo de futebol Society

Construção de 2 campos de futebol society medindo 40x20m, com iluminação, gramado sintético e alambrado.

Criação de uma sala de cinema no centro da cidade

O Museu da Imagem e do Som (MIS), localizado no centro de Campinas, no Palácio dos Azulejos, conta com espaço destinado à construção de um cinema público. Este cinema público terá entrada grátis e veiculará filmes que estão fora do circuito comercial, como os clássicos, filmes de arte e produções alternativas.

Com os recursos disponíveis nesta consulta, será possível disponibilizar à população de Campinas um cinema totalmente equipado, com alta qualidade, acessível e confortável no centro da cidade. Também será possível equipar e melhorar a qualidade das outras duas salas de exibição existentes no MIS Campinas. Além de oferecer uma opção a mais de arte e lazer, esta proposta contribui para a revitalização do centro de Campinas.

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

A democracia que conhecemos veio com a República? 

A resposta é não. Mesmo com o fim da escravidão e do império, o voto ainda era direito de poucos e excluía mulheres, analfabetos, mendigos, soldados de baixa patente, menores de  21 anos, padres e índios. 

Mas não pense que a exclusão de uma renda mínima aumentou consideravelmente o número de de eleitores, porque não mudou muito não: apenas 2% da população elegeu o primeiro presidente por eleições diretas, Prudente de Morais.


Os coronéis e os votos de cabresto

Acho que todo mundo já ouviu o termo “coronelismo” ou assistiu filmes e novelas de época nos quais existiam coronéis. O coronel, figura que existiu entre 1889 e 1930, era geralmente um fazendeiro rico que coagia seus “protegidos” a votarem em seu candidato de preferência, prática conhecida como voto de cabresto, já que as pessoas não podiam escolher seus candidatos livremente. 

As fraudes nessa época também eram constantes, já que não havia um órgão imparcial de controle das eleições e votos eram inventados e feitos no nome de outras pessoas - algumas que já tinham até morrido. Cabe lembrar que nesta época os votos ainda não eram secretos.


O voto feminino

Apesar da luta das mulheres no Brasil ter começado no final do século XIX, foi apenas em 1932, com a chegada de Getúlio Vargas ao poder, que parte delas conquistaram o direito ao voto. 

Para ter direito à votar em 1932, as mulheres precisavam ser casadas e ter a permissão do marido, ou viúvas e solteiras que possuíssem renda própria. O direito ao voto só foi estendido a todas as mulheres em 1934, sendo facultativo a elas, mas obrigatório a todos os homens.

O voto secreto também foi instituído nesta época, porém, Vargas suspendeu as eleições com a implantação do Estado Novo. As eleições só voltaram a ser diretas em 1946, tornando-se o voto obrigatório também para as mulheres.


As eleições foram suspensas na ditadura?

Algumas sim, mas nem todas. 

Durante o período ditatorial (1964-1985), a população não tinha direito ao voto direto para Presidente da República, podendo escolher apenas os representantes do Poder Legislativo (deputados e vereadores), que deviam estar inscritos em um dos dois partidos da época: o Arena (partido dos militares) e o MDB (partido que existe até hoje e reuniu toda a oposição). 

Assim como o presidente, os senadores, governadores e prefeitos também eram eleitos indiretamente, alguns através de indicações dos Colégios Eleitorais.


Enfim, a democracia!

Com o fim da ditadura militar e com o advento da Constituição Federal de 1988, brasileiras e brasileiros puderam voltar a exercer sua cidadania através do voto. No ano de 1989, o Brasil elegeu seu primeiro presidente através do voto direto e universal, Fernando Color de Mello. 


E aí, sabia que o processo para adotarmos o voto universal e igualitário no Brasil tinha sido tão difícil? Muitas pessoas lutaram e morreram para termos esse direito, por isso não deixe de votar e seja consciente ao fazê-lo. 

Apesar de ser o mais popular, o voto não é o único mecanismo de participação social que existe, e como esse é o mês da participação popular no Colab, nós vamos abordar outras formas de participação nos próximos conteúdos. 

Quer aprender mais sobre isso? Então fica ligadinho aqui no blog ;)


 

Colab

Sobre o autor

Somos a rede social para cidadania e a ponte entre você e o governo. Eleitos o melhor app urbano do mundo.