12/12/2022
Governo

E-participação: potencial, desafios e engajamento cidadão

Construir cidades melhores com participação social digital é possível? Nós acreditamos que sim e falamos sobre isso na 5° edição do Circuito Urbano.

Nos dias 18 e 21 de outubro, o Colab participou da 5ª edição do Circuito Urbano, uma iniciativa do ONU-Habitat Brasil para promover o Outubro Urbano. 

Um dos temas abordados pelo time de especialistas do Colab foi o protagonismo da transformação digital e participação cidadã na construção de cidades melhores, além de estratégias adotadas pelo próprio Colab para incentivar a participação social. 

E-participação: o que é?

Em meio a um assunto tão complexo, foi o termo e-participação (participação eletrônica) que ganhou espaço no Circuito Urbano 2022, mas você sabe o que este conceito significa?

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a participação eletrônica pode ser entendida como “o processo de envolver os cidadãos por meio das TIC nos processos de tomada de decisão, nas políticas e na prestação e no desenho de serviços com o propósito de torná-los mais participativos, inclusivos e deliberativos”.

E-participação: 7 potencialidades da participação eletrônica

Para ficar mais claro, separamos 7 (sete) potencialidades — ou benefícios — da participação eletrônica para a sua gestão. Confira! 

  1. Alcance: sem limitação de localidade ou de horário marcado;
  2. Multicanais: ampliação das formas de participação;
  3. Engajamento: fomento a consolidação de uma cultura de participação;
  4. Participação: co-participação da população na tomada de decisões públicas;
  5. Otimização: otimização de processos, economia de tempo e recursos;
  6. Efetividade: decisões tomadas com base em dados,
  7. Transparência: transparência nos processos e clareza nas entregas.

E-participação: 6 desafios da participação eletrônica

Por outro lado, existem diversos desafios para a e-participação ocorrer de forma bem-sucedida. Abaixo, elencamos os 5 (cinco) principais desafios da participação eletrônica.

  1. Exclusão digital: criação de políticas de inclusão digital;  
  2. Iniciativa: vontade política e cultura organizacional nas estruturas de governo presentes;
  3. Design de ferramentas: conceito e configuração de programas participativos online;
  4. Linguagem: uso de linguagem tecnicista e jargões próprios da administração pública,
  5. Gerenciamento: planejamento e sistematização de iniciativas de participação digital (política de estado).

Engajamento cidadão: 5 passos para incentivar a participação social 

Aqui no Colab, nós buscamos a melhoria da gestão pública através da colaboração entre cidadãos e governos. 

Engajando o cidadão a participar da gestão pública de uma forma estruturada, possibilitamos ao governo que essa comunicação resulte em uma melhoria da eficiência e efetividade da gestão.

Nesse sentido, o Colab em conjunto com prefeituras de todos os cantos do Brasil, segue 5 (cinco) passos para incentivar a participação social. Veja quais são! 

  1. Tecnologia: participação na palma da mão, sem sair de casa, a todo momento;
  2. Gamificação: uso de ferramentas de jogos para potencializar e estimular a adesão dos usuários;
  3. Aprendizado: conscientizar e sensibilizar cidadãos sobre temas da gestão pública que impactam sua vida;
  4. Participação: abrir espaço de diálogo com a população, para que o cidadão possa ouvir e ser ouvido,
  5. Engajamento: estimular o sentimento de colaboração e co-responsabilização pela manutenção e gestão da cidade.

Você acha que a sua cidade é sustentável?

Participe da consulta e compartilhe sua opinião com a gente!

Inscreva-se para receber nossa newsletter e saber mais sobre governos.

Inscrição enviada com sucesso. Obrigada!
Oops! Algo deu errado no seu formulário!
E-participação: potencial, desafios e engajamento cidadão

Nathan Haluch

Acadêmico de Publicidade e Propaganda, estagiário de Marketing no Colab e apaixonado por comunicação social. Respiro revisão e produção de conteúdo aqui no Colab, mas também me amarro em séries e jogos eletrônicos.